• Procuram-se domésticas

    Com casa e filha para cuidar e faxineira apenas uma vez por semana como ajuda, aceitei após dois meses dica de amiga e apelei para agência de serviços domésticos. Encontro com a primeira candidata agendado. A executiva fez escala na Sephora, calçou salto alto e com vestido de grife chegou acompanhada da senhora negra constrangida com meias-calças grossas de malha e uniforme surrado.

    Ler mais

  • A invasão gringa

    Há algum tempo em Sampa, línguas estrangeiras incorporam-se à paisagem urbana em locais nunca dantes navegados. Casal conversa com o filho em francês na padoca, atletas de final de semana ofegantes em alemão no Parque Villa-Lobos, espanhol versus portunhol na fila do cinema da Paulista e inglês sem sotaque perto do caixa da farmácia. Os gringos redescobrem o Brasil. Com a Europa de

    Ler mais

  • Glória ao povo lutador *

    Vivi na Venezuela 6 dos melhores anos de minha vida. Já se passaram mais de 25 anos e lembro que abastecia-se o carro com moedas e o câmbio era imutável, um dólar sempre valiam 4 bolívares e 30 centavos. Apesar de muita vontade, nunca mais voltei. Amigos que ficaram por lá descreviam Chávez pelo lado folclórico. Cheguei a ouvir que o líder venezuelano

    Ler mais