• Não sirva e encontre a liberdade, ensinou La Boétie

    por Fernando do Valle A recusa em obedecer aos tiranos e a luta pela liberdade podem desestabilizar o poder tanto ou mais do que o uso da força, esse é o grande achado do escritor francês Étienne de La Boétie em seu breve livro do século 16, Discurso da Servidão Voluntária. Para La Boétie, os tiranos sobrevivem da servidão voluntária, se o cidadão

    Ler mais

  • Oswald de Andrade telefona para cinco brasileiros

    por Fernando do Valle O primeiro texto da coluna Telefonema de Oswald de Andrade foi publicado no jornal Correio da Manhã em 1º de fevereiro de 1944 em plena ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas. Oswald demonstra desprezo pelo “anão Vargas” em alguns Telefonemas, o apelido vale-se da baixa estatura do mandatário para reforçar as duras críticas ao governo. Em junho do

    Ler mais

  • dia de iemanja salvador foto 1

    Como Iemanjá dá à luz as estrelas, as nuvens e os orixás

    por Fernando do Valle   “Iemanjá vivia sozinha no Orum (a morada dos deuses). Ali ela vivia, ali dormia, ali se alimentava. Um dia Olodumare (ser supremo) decidiu que Iemanjá precisava ter uma família, ter com quem comer, conversar, brincar, viver. Então o estômago de Iemanjá cresceu e cresceu e dele nasceram todas as estrelas. Mas estrelas foram se fixar na distante abóboda

    Ler mais

  • O elefante chamado Brasil, por Sérgio Porto

    No tempo em que um deputado descobriu  que o grande problema do país era “ter sido descoberto por estrangeiros” e seu outro colega de plenário “tentava revogar a lei da oferta e da procura”, Sérgio Porto, nome de guerra Stanislaw Ponte Preta, publicou o conto “O Elefante”. O conto faz parte do livro 64 d.C., C de Castelo não de Cristo, editado em

    Ler mais

  • La Rochefoucauld

    10 máximas de La Rochefoucauld

    por Fernando do Valle Cínico, ácido, humorista, pessimista, filósofo, o duque francês La Rochefoucauld foi sobretudo um dos maiores frasistas de que se tem notícia. Muitas delas (ele as apelidou de máximas) repetimos até hoje sem o devido crédito. Boa parte de sua verve encontra-se no livro “Reflexões ou sentenças e máximas morais”, que apareceu pela primeira vez em 1664. O nobre era frequentador

    Ler mais

  • glauber rocha estetyka do sonho

    A Estetyka do Sonho de Glauber Rocha

    por Fernando do Valle “A pobreza é a carga autodestrutiva máxima de cada homem e repercute psiquicamente de tal forma que este pobre se converte num animal de duas cabeças: uma é fatalista e submissa à razão que o explora como escravo. A outra, na medida em que o pobre não pode explicar o absurdo de sua própria pobreza, é naturalmente mística. A

    Ler mais

  • Tiradentes, por Darcy Ribeiro

    “A sedição [Inconfidência Mineira] surge, porém, na própria classe alta, de que se destaca uma elite letrada que propõe formular e pôr em execução um projeto alternativo ao colonial de reordenação de sua sociedade. Trata-se do mais ousado dos projetos libertários da história colonial brasileira, uma vez que previa estruturar uma república de molde norte-americano que aboliria a escravidão, decretaria a liberdade de

    Ler mais

  • anais nin e henry miller

    O encontro entre Anais Nin e Henry Miller

     “Ele pede para me ver novamente. Quando espero na poltrona de seu quarto, e ele se ajoelha para me beijar, é mais estranho do que todos os meus pensamentos. Com sua experiência ele me domina. Domina com sua mente, também, e fico calada. Sussurra para mim o que meu corpo deve fazer. Eu obedeço, e novos instintos são despertados em mim. Ele me

    Ler mais

  • 13 de novembro GRACILIANO RAMOS foto 1

    Graciliano Ramos resume a Proclamação da República

    “Deposto o ministério, Deodoro andou na cidade, obteve adesões e no Arsenal de Marinha foi bem recebido pelo chefe de divisão Eduardo Wandenkolk e pelo barão de Santa Marta, ajudante-general da Armada. Na Câmara Municipal José do Patrocínio fez um discurso. D. Pedro II veio de Petrópolis e tentou organizar um novo ministério, o que não foi possível. No dia 16 SM [Sua

    Ler mais

  • Tudo como dantes no quartel de Abrantes (e da imprensa)

    “— Você exagera, objetou Leiva. O jornal já prestou serviços. — Decerto.. não nego… mas quando era manifestação individual, quando não era cousa que desse lucro; hoje é a mais tirânica manifestação do capitalismo e a mais terrível também… É um poder vago, sutil, impessoal, que só poucas inteligências podem colher-lhe a força e a essencial ausência da mais elementar moralidade, dos mais

    Ler mais

  • 10 frases de Che Guevara

    No dia 9 de outubro de 1967, o ditador boliviano René Barrientos, seguindo ordens da CIA, ordenou a execução de Che Guevara no pequeno povoado de La Higueira, a 150 quilômetros de Santa Cruz de la Sierra. Após várias horas de combate, Guevara, com 39 anos e ferido em uma perna, tinha sido capturado pelo Exército no dia anterior. Separamos 10 frases do

    Ler mais

  • 13 de setembro Eduardo Alves da Costa no caminho com maiakóvski foto 1

    Maiakóvski quase “rouba” poema de escritor brasileiro

    “Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos

    Ler mais

  • 20 frases de Millôr Fernandes

    Entre as centenas de frases de Millôr Fernandes, o Zonacurva teve a dura missão de selecionar apenas 20, aí vão: “Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos & molhados”. “Divagar e sempre”. “Brasil, país do faturo”. “O pessimista é um sujeito que acerta duas vezes: quando acerta e quando erra”. “O mercado financeiro está acima da alma humana”. “Ser pobre não

    Ler mais

  • 13 de junho Cildo Meireles

    Safatle e a geração que quebrou o mundo

    Em discurso aos jovens que ocuparam o Vale do Anhangabaú no Movimento Ocupa Sampa, em 2011, o filósofo Vladimir Safatle resumiu o espírito do fracasso da geração dos quarentões: “Na idade de vocês, dezoito, dezenove , vinte anos, costumava ouvir que não havia mais luta política a ser feita, que o mundo estava globalizado e o que valia era a eficácia, a capacidade

    Ler mais

  • 28 de abril garcía marquéz jornalismo

    Jornalismo na veia com García Márquez

    Convidado para inaugurar a 52ª Assembleia da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), em Los Angeles, Estados Unidos, o escritor e também jornalista Gabriel Gárcia Márquez proferiu discurso que foi uma verdadeira aula de jornalismo para os empresários presentes. Li o texto quando ainda estudava jornalismo na PUC-SP em 1996 e agora, o meu entusiasmo após a leitura e a atualidade do texto continuam

    Ler mais

  • Millôr explica a diferença entre democracia e ditadura

    “A diferença entre uma democracia e um país totalitário é que numa democracia todo mundo reclama, ninguém vive satisfeito. Mas se você perguntar a qualquer cidadão de uma ditadura o que acha do seu país, ele responde sem hesitação: “não posso me queixar”.” Há dois anos, em 27 de março de 2012, o escritor, jornalista e o faz tudo e mais um pouco

    Ler mais

  • ditadura militar

    Nem só as mães eram infelizes na ditadura militar

    “Cabelo comprido e minissaia. Se tivéssemos proibido, se todas as mães do mundo tivessem proibido essa liberdade quando começou, protegido os corpos de nossos filhos, se nós tivéssemos proibido que eles se juntassem para aquelas danças de uns anos atrás eles não estariam assim, loucos, se nós tivéssemos proibido a pílula, proibido que se falasse em pílula nos jornais, meu Deus, se eu

    Ler mais

  • Krishnamurti, por Henry Miller

        “Veja o que se passa no mundo. Os fortes, os violentos, os poderosos, os homens que usurpam e exercem o poder sobre os outros estão no topo; no sopé estão os fracos e mansos, que lutam e se debatem. Em contrapartida, pense na árvore, cuja força e glória provêm de suas raízes profundas e ocultas; no caso da árvore, o topo

    Ler mais

  • A classe mérdea

    “Empanturrado ontem e bebum, no coquetel, escarneci e, de voz empastada, eu disse classe mérdea. Com este embrulho no estômago, pesadão e ressacado, pertenço a que classe senão a ela? … Mas da classe média você não vai escapar, seu. A armadilha é inteiriça, arapuca blindada, depois que você caiu. Tem anos e anos de aperfeiçoamento, sofisticação, tecnologia, ah o cartão de crédito,

    Ler mais

  • O caminho zen

      “O monge zen o advertirá para que não se deixe consolar a fim de esquecer a dor, nem espere uma cura pelo tempo. Sua cura só advirá se ele aceitar seu destino e assumir serenamente o que este lhe impõe, sem indagar por que, logo a ele, coube tamanho sofrimento. Quem conseguir isto – embora cheio de dúvidas – desenvolve-se na dor

    Ler mais

  • Jornalecos e jornalões

    “O que torna terrível o jornal não é (pelo menos: não é somente) a força econômica e política que o dirige. O jornal como meio de condicionamento da opinião já tinha sido definido quando nasceram as primeiras gazetas. Quando alguém deve escrever diariamente tantas notícias quantas permite o espaço disponível, de modo que sejam legíveis por um público de gostos, classe social e

    Ler mais