• Hoje é dia nacional do Saci Pererê

    por Elaine Tavares Até os anos 60 do século passado a vida da gente era completamente imbricada com a natureza. As grandes cidades ficavam muito distantes e as crianças vivenciavam toda a beleza de conhecer e compartilhar as figuras míticas, moradoras das florestas e dos cantos escuros dos lugares onde viviam. Desde pequenos, os meninos e meninas aprendiam que no meio da noite

    Ler mais

  • museu nacional

    Museu, memória e patrimônio

    Originário do ato de colecionar e preservar, os museus chegaram ao século XXI como instituições indispensáveis à vida e à memória das comunidades, pelo menos em teoria. Inseridos na vida das cidades e amparados por políticas públicas de cultura, muito bem argumentadas no papel, mas sem atrativos para atrair o grande público que prefere o espetáculo dos shoppings ou o paraíso dos templos

    Ler mais

  • Matrículas abertas para o curso online de Cinema Japonês

    inscrições só até dia 6 de setembro O site Tudo Vai Bem, em parceria como Zona Curva, apresenta o Curso Online de Cinema Japonês: Do Clássico a Nouvelle Vague Japonesa, uma maneira prática, rápida e bem contextualizada de aprender e conhecer as características do cinema japonês e seus filmes que formam uma das mais importantes e brilhantes cinematografias da história. As matrículas estão abertas somente até

    Ler mais

  • O Tropicalismo na visão dos jovens na ditadura

    As informações na internet falam que a Tropicália mudou o cenário musical brasileiro e influenciou outras áreas, como por exemplo, as artes plásticas e o cinema. Ela encontrou eco em boa parte da sociedade que, ainda que sufocada pela censura da ditadura militar, aplaudiu com entusiasmo as suas manifestações tanto nos festivais de Música, quanto nas artes cênicas. A consolidação veio com um

    Ler mais

  • ngmar bergman 100 anos

    O rosto no cinema de Ingmar Bergman por Gilles Deleuze

    por Roberto Acioli de Oliveira “O quanto se é tentado a se deixar prender aí, a se embalar aí, a se agarrar a um rosto…” Gilles Deleuze e Felix Guattari Mil Platôs, vol.3, p. 56. O que os closes de rostos podem nos mostrar nos filmes de Ingmar Bergman? Pensemos uma articulação entre o rosto e a noção de Corpo sem Órgãos, desenvolvida por Gilles Deleuze e

    Ler mais

  • Grândola Vila Morena

    Grândola Vila Morena, a canção que embalou a Revolução dos Cravos

     por Fernando do Valle A canção Grândola Vila Morena foi escrita por Zeca Afonso em 1964 e lançada no álbum “Cantigas de maio” em 1971. Grândola tornou-se símbolo da Revolução dos Cravos que libertou Portugal da ditadura em 25 de abril de 1974. O regime de exceção em Portugal durou 41 anos, de 1933 a 1974. Durante o período, Portugal viveu boa parte

    Ler mais

  • A cultura e o planejamento da cidade

    por Almandrade A produção cultural e o planejamento urbano que presenciamos e consumimos refletem a época de políticos, burocratas e empresários à frente dos destinos da cidade. Se o planejamento foi levado à condição de aspirina para resolver um mal incurável (a desordem urbana), a cultura foi transformada em divertimento descartável para uma população urbana que corre desesperada atrás de um momento de

    Ler mais

  • O fim da arte (como meio de conhecimento)

    por Almandrade Não temos a capacidade de destilar em palavras as experiências visuais que fazem o belo repousar naquilo que é apreendido pelo olhar. Uma obra de arte é tudo que ela contém: forma, textura, cor, linhas, conceitos, relações etc. É aquilo que se vê, e o que se diz não corresponde exatamente ao que se vê. Não representa nada como imagem de outra

    Ler mais

  • Pablo Picasso

    Duas revoluções na arte ocidental

    por Almandrade 1 – Les Demoiselles D’Avignon de Pablo Picasso (1907) – 110 ANOS Uma das transformações mais radicais na arte ocidental do século XX, tem como paradigma o quadro LES DEMOISELLES D’AVIGNON de Pablo Picasso, concluído em 1907. Era uma espécie de manifesto ou plano piloto do espaço multifacetado cubista. Braque  se assustou quando viu o quadro, mas logo em seguida foi influenciado por

    Ler mais

  • A arte em risco

    por Frei Betto Qual o limite da expressão artística? A pergunta volta à baila após a repressão à liberdade de manifestação estética promovida pelo MBL (Movimento Brasil Livre) no Santander Cultural, em Porto Alegre, com desdobramentos em outros museus do país. A arte é transgressora por natureza. Faz-nos pensar. É o espelho que reflete o nosso inconsciente. Narciso pode quebrá-lo por se achar

    Ler mais

  • A irrealidade da arte contemporânea

    por Almandrade “A crise não afeta apenas a arte contemporânea, mas também a produção de novas obras de arte: se a arte não continuar, tudo aquilo que resta da arte do passado e que constitui ainda hoje uma parte notável do ambiente material da vida, perderá todo o valor e acabará por ser abandonado e destruído” Giulio Carlo Argan Todo trabalho cultural requer

    Ler mais

  • kelvin solaris tarkovski

    Tarkovski e o planeta Água

    por Roberto Acioli de Oliveira Poderíamos dizer que o cineasta russo Andrei Tarkovski dirigiu dois filmes de ficção científica, Solaris (Solyaris, 1972) e Stalker (1979). Uma adaptação livre do livro homônimo escrito pelo polonês Stanisław Lem, veremos que Solaris não tem nenhuma relação com a versão criada em 2002 nos Estados Unidos. Alguns disseram que o Solaris de Tarkovski foi uma resposta a 2001, Uma Odisséia no Espaço (2001, A Space Odyssey, direção do

    Ler mais

  • Quando Sophia Loren entrou na guerra dos seios

    por Roberto Acioli de Oliveira A indústria cinematográfica italiana se reergueu rapidamente após o término da Segunda Guerra Mundial. Para além do movimento neo-realista no cinema de Roberto Rossellini e alguns outros realizadores (que utilizavam não-atores, pessoas desconhecidas do povo), cresceu a demanda por “novos rostos” que representassem a Itália no teatro, cinema e televisão. A busca por mulheres jovens e “bem torneadas”

    Ler mais

  • O museu e a arte contemporânea

    por Almandrade Na arte contemporânea não existem limites estabelecidos para a invenção da obra, embora nem tudo em nome da liberdade, sem critérios e sem o risco de referências, a transgressão sem saber de que, divulgado como arte, é arte. Com o deslocamento dos suportes tradicionais, a exemplo da pintura e da escultura para outras opções estéticas ou experiências artísticas em processo, com

    Ler mais

  • arte mercadoria

    Cultura dos editais: o remédio amargo dos artistas

    por Almandrade O artista que passa o tempo recluso na solidão do atelier, trabalhando, desenvolvendo sua experiência estética, como um operário da linguagem e do pensamento, está em extinção. É coisa de museu. Ou melhor, é raridade nos museus de arte, hoje em dia, que estão deixando de ser instituições de referência da memória para servir de cenários para legitimação do espetáculo. Às

    Ler mais

  • 1984 é agora, ou o real invadiu a ficção?

    por Albenísio Fonseca A transformação da realidade e seu total controle é o tema principal de 1984, o livro de George Orwell, escrito em 1948.  A ação se passa em Oceania, um fictício bloco de países que, simulando uma democracia, vive sob o totalitarismo desde que o IngSoc (o Partido) chegou ao poder sob a batuta do onipresente Grande Irmão (Big Brother). O controle

    Ler mais

  • crise cultural

    A crise da Cultura

    por Almandrade Nunca se falou tanto em política cultural como nos últimos anos nesse País: conferências, conselhos, encontros, inventaram até economia criativa, no entanto, a cultura vive uma recessão e a ética, a cidadania e a educação escorrem pelo ralo. De um lado, as leis de incentivo e os editais, e do outro o entretenimento e a festa como alvos. As linguagens artísticas,

    Ler mais

  • Gabriel Gárcia Márquez biografia

    Gabriel García Márquez aos 90 anos

    No último dia 6 de março, Gabriel García Márquez completaria 90 anos por Urariano Mota   Na sua ótima biografia escrita por Gerald Martin, podemos ler: “Gabo se mostrava claramente angustiado. Depois que conversamos sobre seu trabalho e planos por algum tempo, declarou que não tinha certeza se voltaria a escrever. Então ele disse, quase melancólico: ‘Escrevi bastante, não escrevi? As pessoas não

    Ler mais

  • tropicália rita lee, caetano e gil

    O carnaval da Tropicália

    por Albenísio Fonseca A Tropicália é o movimento que não acabou, foi impedido de continuar. Por si só verdadeira carnavalização estética, surge com uma instalação de Hélio Oiticica, em 1967. No mesmo ano, a canção Tropicália, de Caetano Veloso. Só em 68 seria lançado o emblemático disco-manifesto. Aliás, com um erro crasso ao cravar o plural do simbólico emblema latino dos romanos “panis (em lugar de “panem”)

    Ler mais

  • Não se fazem mais intelectuais com a verve de Emílio de Menezes

    por Fernando do Valle O poeta e jornalista Emílio de Menezes vivia durango e para sobreviver vendia entradas de suas próprias conferências nos bares que frequentava, com isso garantia sua dieta de glutão que continha até aipos e beterrabas crus que mastigava com frequência. Mas nem só de aipos e beterrabas era fornida a enorme pança de Emílio. Ele adorava bater ponto nas

    Ler mais

  • john coltrane biografia

    Embarque no sax de John Coltrane

    por Fernando do Valle O ar introspectivo de Coltrane com o sax a tiracolo representa uma das imagens mais marcantes da história do jazz. O olhar melancólico era a senha para a possibilidade da construção de um mundo paralelo pelo som de sua música. Mundo por vezes cheio de quebradeira e barulho, em outras cheio de lirismo ou ainda atrás de algum contato

    Ler mais