• O Rio de Tarso de Castro

    por Marceu Vieira Quem é torcedor de futebol conhece aquele sentimento de vergonha do próprio time depois de um vexame. Não é uma vergonha qualquer. É diferente. Torcedor de futebol, em geral, sabe a diferença entre perder e dar vexame. Vexame é vexame. Não é a mesma coisa. Uma goleada de 7 a 1 numa Copa do Mundo em casa, por exemplo. Pois é com este

    Ler mais

  • Um caso de bullying no Recife

    por Urariano Mota Na década de 60, o bullying ainda não tinha esse nome. Mas ocorria, como ainda ocorre. O que eu narro a seguir é um trecho do conto Daniel, nome próximo de um amigo que carregou pelo resto da vida a humilhação que sofrera em um colégio do Recife. Da turma, Daniel era o mais gordo. Ainda que sob protesto, ele

    Ler mais

  • O que os pobres comem

    por Urariano Mota As notícias desta semana atualizaram uma fala do prefeito de São Paulo, que em vídeo de 2011 gritou: “Pobre não tem hábito alimentar”. Essa frase lapidar de João Doria esteve de volta quando ele anunciou a distribuição da farinata – mistura de fascio e lixo de comida – como ajuda alimentar para os pobres e crianças em creches. No vídeo,

    Ler mais

  • Pesadelo

    por Fernando do Valle O general com sobrenome de tronco de amarrar gado fala todo pimpão na televisão sobre “os novos tempos” em entrevista ao jornalista barbudo brother de ditador que era mais chegado aos equinos do que aos bípedes. Desligo e digito minha senha no faceburka e me deparo com notificação sobre a censura de meu post com a entrevista de uma transexual. Revoltado,

    Ler mais

  • A guerra

    por Marceu Vieira Uma notícia curtinha, veiculada sem destaque por alguns sites na quarta-feira 13 de setembro, e ignorada pelos jornais do dia seguinte, deu conta da paralisação pela Justiça da operação da Usina de Belo Monte, na Amazônia paraense. Com os olhos da grande imprensa todos voltados pro depoimento do Lula ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba, a decisão tomada pelo Tribunal Regional Federal

    Ler mais

  • Quem é o inimigo?

    por Elaine Tavares O sistema capitalista de produção é uma máquina de ódio e sobre esse sentimento se sustenta. Sua principal arma – que mantém a maioria das gentes sob seu comando – é a invenção de que o inimigo de cada um é outro. A pobreza, a miséria, a dor, a desgraça, a fragmentação, a doença, nada disso tem a ver com

    Ler mais

  • Vinícius de Moraes hoje

    por Urariano Mota Para estes dias de novo golpe no Brasil, vale a pena esta evocação e invocação de Vinícius de Moraes. O crítico literário José Castello, numa entrevista, contou certa vez que o poeta maior Vinicius de Moraes apresentava um show em Lisboa em 13 de dezembro de 1968. Esse foi o dia em que os militares do Brasil acabavam de dar

    Ler mais

  • Notas sobre a velhice

    por Elaine Tavares Então, de repente, a velhice mostra sua cara. E não é aquela dos folhetos da previdência privada, nem da Unimed. É velhice real, que chega e toma conta daqueles que amamos, com doenças e esquecimentos. Pode ser o pai, ou a mãe, ou um avô. E, no contrapé, pega de surpresa, afinal, as pessoas até percebem o velho, mas não

    Ler mais

  • morte ditadura militar

    Vargas na penúltima hora

    por Urariano Mota O que se passa com um homem quando caminha para a morte? Vargas entrou no prédio quase de um salto, como quem entra no consulado em área livre da guerra civil. Subiu no elevador como as pessoas sem saída vão, e agora aperta a campa da advogada com a sua chama trêmula. Vida açoitada pelo vento em suas mãos. “Eu

    Ler mais

  • brasil corrupção

    A fila dos aspirantes a CEO

     por Fernando do Valle Os olhos do barbeiro brilhavam enquanto narrava a proximidade com tal CEO. Eu ali sentado ouvindo ao fundo o barulho da tesoura e o olhar alternando entre as mechas de cabelos no chão encerado e a minha facha no espelho. O tal CEO tinha dado veredito sobre a crise brasileira: todos NÓS somos canalhas e é por isso que

    Ler mais

  • modelo Vanessa de Freitas Jorge

    A modelo negra da capa de revista

    por Urariano Mota  Vanessa de Freitas Jorge é mais conhecida pelo nome de Malana. Ela é negra, elegante, linda e simples como não se vê em uma só modelo. Nem é preciso lembrar para ela antecedentes ilustres como a bela Dorotéia, de quem Baudelaire dizia que caminhava balançando com indolência o torso tão fino sobre as ancas tão largas, com a cabeça delicada e

    Ler mais

  • Segundamente

    por Marceu Vieira Desde a descoberta do fogo, a História do mundo mostra que há acontecimentos impossíveis de se evitar. Aqui, no Brasil, um foi a Independência – por mais fajuta que tenha sido. A Proclamação da República, golpe inaugural dos militares, foi outra. A Abolição da Escravatura, mais uma. Houve ainda a Revolução de 1930, o Estado Novo, a volta de Getúlio Vargas,

    Ler mais

  • Como ensinar literatura

    por Urariano Mota Vocês perdoem, por favor, o título pretensioso. Por isso, corrijo um pouco. Deveria ter escrito “Como ensinar literatura para alunos colegiais”. Mas isso ainda é muito. Então esclareço desde já: tentarei escrever alguma coisa sobre a minha experiência com literatura para estudantes. E passo a anotar duas ou três coisas. Em minhas – na falta de melhor nome – aulas,

    Ler mais

  • dia do índio

    Sobre o Dia do Índio

    por Elaine Tavares Discurso em atividade promovida pelo vereador Renato da Farmácia, do PSOL, e que contou com a participação de Cris Tupã e Marcos Karaí, da etnia Guarani: Aceitei falar hoje aqui na seguinte condição. Primeiro, como uma descendente do povo Charrua, da Banda Oriental, que vicejou junto às duas margens do Rio Uruguai, tanto no lado uruguaio quanto brasileiro. E segundo

    Ler mais

  • Gandhi era racista? Forçava garotas a dormir nuas com ele?

    por Leandro Uchoas Há cerca de um ano e meio, um texto circulou amplamente na internet. De autoria do indiano Mayukh Sen no site Broadly, e reproduzido no Brasil pelo Vice, o artigo versava sobre o principal líder da independência da Índia, Mahatma Gandhi. Como eu estudo a vida e a mensagem de Gandhi há anos, e vivi naquele país estudando seu pensamento na universidade

    Ler mais

  • brasil que sonhamos

    Era uma vez o país que eu sonhava

    por Marceu Vieira No país que eu sonhava, vigorava o sistema monarquista parlamentar. O rei era Dom Pedro II, sujeito bom e digno, carioca de nascimento, homem público maior, um cara justo, monarca que, na vida real, alheia ao meu sonho, havia sido uma das maiores vítimas dos seres abjetos da política no Brasil. Eles, os seres abjetos da política no Brasil, sempre

    Ler mais

  • O desabafo de um paulistano

    por Otávio de Carvalho Sou um paulistano dos tempos de ir de bike de Moema ao Ibirapuera quase toda tarde. Considero essa cidade minha também, mas não vejo há tempos o cidadão paulistano com a empatia de outrora, a que devia ter pelos meus conterrâneos. Talvez porque uma avó seja do Pará e a outra gaúcha, sempre me vi como brasileiro e ponto.

    Ler mais

  • Brizola: “eu tirei o dó da minha viola“

    por Marceu Vieira Brizola – O cronista digital, nas suas viagens diante do teclado, foi surpreendido por um novo encontro com a lembrança de Leonel Brizola, desta vez interessado em falar da morte de dona Marisa Letícia, da prisão do ex-bilionário Eike Batista, da nomeação de Moreira Franco como secretário-geral de Temer, da reeleição de Rodrigo Maia à Presidência da Câmara, da escolha

    Ler mais

  • Marisa Letícia

    por Frei Betto Se havia uma mulher que não pode ser considerada mero adereço do marido era Marisa Letícia Lula da Silva. Conta a fábula que, tendo sido coroado, o rei nomeou para o palácio um lenhador que, na infância, fora seu companheiro de passeios pelo bosque. Surpreso, o pobre homem escusou-se frente à tão inesperada deferência, alegando que mal sabia ler e não

    Ler mais

  • futuro 2017

    O futuro neste ano que se inicia

    por Urariano Mota Houve um tempo em que o futuro era a paz idílica, sentimental, onde todas as feras passeavam ao lado de mansas ovelhas. Esse futuro passou. Houve um tempo em que o amor era a resposta certa para toda baixeza humana. Passou. Houve um tempo ainda em que a simples visão da flor, da orquídea, da cornucópia de pétalas nos jardins,

    Ler mais

  • Elis, o meu coração e a PEC do Temer

    por Marceu Vieira Meu coração é velho. Mais do que eu. Por isso, depois de ler tanta coisa e de assistir a tantos comentários de economistas e analistas sabidos na TV sobre o congelamento dos gastos públicos e a reforma da Previdência, entrei num cinema da Praia de Botafogo, onde a Baía de Guanabara é mais agredida e também mais generosa, pra tentar

    Ler mais