Farra muito doida por Fausto Wolff

(…) Como é bom,

Entre o tanto e o que jamais

Chegou a existir,

Estar aqui.

Quase terra, quase pranto, quase nada.

Ser e existir assim desse jeito camarada

Que abraça o tudo e o nada.

Não dá pé

(…) Estás no meio da onda,

Companheiro.

E é aí,

Entre a escuridão e o sol,

Que as coisas se explicam.

Entre a atração do abismo

E a sôfrega busca do claro,

Que se decide

O que não temos coragem de matar.

Trechos de poemas de Fausto Wolff in Gaiteiro Velho

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: